domingo, 13 de março de 2011

Silenciadores

Silenciadores

Os armários chaveados,
Meu orgulho arranhado,
As carteiras arrumadas,
Meu estômago revirado.

Testemunhas silenciadas,
Depondo silenciosas.
Em meu silenciador,
Após silêncio a dor.

Silenciador,
Silencie a dor.

Desmontamos os pedestais,
Anulamos a exposição,
Rochas nocauteadas por cristais,
Desparcerados pela discrição.

Ela foi vítima,
Eu fui vil,
Ela é discreta,
Eu sou sutil.

Sentimentos silenciados,
Depoimentos sussurrados,
Enlaçados capturamos a libertação.

Silenciadores,
Silenciem as dores.

(Compositor: Michel F.M.) © 2010

6 comentários:

Lai Paiva disse...

Que lindo Michel. Muito!!!! Bj pra tu

Gisa disse...

Silêncios necessários
Um grande bj querido amigo

Bianca Telles de Morais disse...

Olá, como vai? :)

Adorei a poesia, muito linda... És realmente criativo e talentoso, parabéns!

Beijo, ótima semana pra ti!

rosa-branca disse...

Lindo, gostei muito. Beijos com carinho

FANGO disse...

Se traiciona a la desesperación
si se pide auxilio:
porque el que pide espera.

Se reniega de la soledad, manifestándola.

Porque lo que es expresado se comparte.

Se contradice el silencio, si se explica.

Y aún si no se explica.

Porque el silencio, si no se le atiende, habla.


Ana Rosetti.

Manuella Epaminondas disse...

Cara, você muito talentoso, sua música é linda.
Parabéns

Honrada com a sua visita.

Bj Grande, já sou fã

Related Posts with Thumbnails